São Miguel das Missões

A cidade é conhecida mundialmente devido as “Ruínas de São Miguel”, um ótimo local de lazer e turismo, mas há muito mais para se fazer aqui, e tornar o seu passeio em São Miguel das Missões completo:

– Sítio Arqueológico São Miguel Arcanjo:

Patrimônio Mundial, reconhecido pela UNESCO em 1983.

É um conjunto de ruínas da antiga redução de São Miguel Arcanjo, integrante dos chamados Sete Povos das Missões, e um dos principais vestígios do período das Missões Jesuíticas Guarani em todo o mundo, onde a fachada da antiga igreja é a mais completa e sua torre perfeitamente conservada.

Fundada em 1687, no local atual, num tempo em que o território era domínio espanhol, se tornaram parte importante da história do Rio Grande do Sul e do Brasil e fonte de ricas tradições.

Horários de visitação:

Segunda-feira a partir das 13h30 horas às 18h00 e de terça-feira a domingo das 09h00 às 12h00 e das 13h30 às 18h00.

Obs: nos meses de novembro, dezembro e janeiro o sítio fica aberto para visitação até as 19h00.

– Museu das Missões:

Projetado pelo arquiteto Lucio Costa, no estilo que remete as antigas casas indígenas das Missões, criado com o intuito de “reunir e conservar as obras de arte ou de valor histórico relacionadas com os Sete Povos das Missões Orientais, fundados pela Companhia de Jesus”. Está localizado junto ao Sítio Arqueológico, e abriga uma coleção de esculturas missioneiras em madeira policromada dos séculos XVII e XVIII, sendo a maior coleção pública do Mercosul nesse gênero. 

– Espetáculo de Som e Luz:

Todas as noites, no Sítio Arqueológico, acontece o Espetáculo de Som e Luz, onde duas personagens: a Igreja e a Terra narram a saga dos Padres Jesuítas e Índios Guarani habitantes da Região Missioneira nos séculos XVII e XVIII, nas vozes de Fernanda Montenegro, Lima Duarte, Paulo Gracindo, Juca de Oliveira, Rolando Boldrin, Maria Fernanda e Armando Bógus, tem a duração de 48 minutos.

Horários:

Português: Segunda-feira a Domingo às 20h00.

Novembro, Dezembro, Janeiro e Fevereiro às 20h30.

Espanhol: terça, quinta e sábado

Novembro, Dezembro, Janeiro e Fevereiro às 21h30.

Fevereiro, Março, Abril, Setembro, Outubro-21h00.

Maio, Junho, julho, Agosto – 19h00.

Inglês: quarta, sexta e domingo

Novembro, Dezembro, Janeiro e Fevereiro às 21h30.

Fevereiro, Março, Abril, Setembro, Outubro-21h00.

Maio, Junho, julho, Agosto – 19h00.

– Fonte Missioneira:

Descoberta em 1982 e restaurada em 1983, está localizada a 1 km do Sítio Arqueológico. Esta era uma das 7 fontes que abasteciam a redução de São Miguel Arcanjo, sua nascente nunca secou, mesmo nos longos períodos de seca.

– Pórtico de São Miguel das Missões:

Na RS 536, chegando a São Miguel das Missões, é um monumento em homenagem aos Missioneiros. Localizado a 16 km da sede do Município, o pórtico possui esculturas que representam São Miguel Arcanjo, homens, mulheres e crianças da Nação Guarani, o Padre Jesuíta Cristóvão de Mendonza e Sepé Tiarajú. A frase dita por Sepé Tiarajú na Guerra Guaranítica está escrita em guarani: Co Yvy Oguereco Yara (Esta terra tem dono). 

– Manancial Missioneiro:

Museu que reúne inúmeros objetos que fazem referência à história da região missioneira.

Espaço de preservação e reconstituição das Divindades Missioneiras, onde também são realizadas as purificações e benzimentos milenares com o cristianismo trazidos pelos padres jesuítas.

Antimonumento ao Bandeirante (Jaz Bandeirante):

Construído abaixo do solo com vista para às Ruínas de São Miguel, a obra de João Loureiro, tem como ponto de referência de sua localização o Cemitério Municipal de São Miguel das Missões, seu significado é de anti-homenagem aos bandeirantes, que para os gaúchos missioneiros o bandeirante não é herói, mas sim um grande devastador dos povos indígenas, que levou milhares de famílias nativas como mão de obra escrava.

– Aldeia Indígena – Tekoá Koenjú:

À 30 km de São Miguel das Missões é possível visitar a Aldeia Tekoá Koenjú, que significa Aldeia alvorecer, no local é realizado trilha em meio a mata ciliar, acompanhada pelo guia da própria aldeia – geralmente o Cacique ou o vice-cacique que demonstra como são feitas as armadilhas de caça e as plantas medicinais utilizadas por eles, no verão é possível descer até o Rio Piratini, que banhas as terras indígenas além de ser um local de lazer para as crianças Guarani. Na visita também inclui uma apresentação do coral indígena, além de observar a forma como vivem e produzem seus artesanatos, a principal fonte de renda das famílias.

– Santuário do Caaró:

A 25 km de São Miguel das Missões, o Santuário do Caaró, localizado em Caibaté, é o local onde ocorreu o martírio dos Padres Jesuítas no primeiro ciclo missioneiro: Roque González, Afonso Rodrigues e João de Castilhos, pioneiros na catequização dos índios da região. Canonizados Santos, oficialmente em 1988, pelo Papa João Paulo II: os Três Santos Mártires das Missões.

No local, também se encontra a Fonte dos Jesuítas e suas águas milagrosas de Caaró.

– Museu Borraio Minhas Origens:

Museu do colono, localizado a 10 km no interior de São Miguel das Missões. Acervo com peças da própria família Guasso, de origem italiana, que foram preservando materiais e utensílios que marcaram gerações. Ambiente diretamente ligado ao trabalho de campo e convívio com a natureza.

Sugestão de almoço no local: comida caseira típica da região missioneira feita com produtos coloniais produzidos na propriedade.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta